Instrumentos Endodônticos e Soluções Irrigadoras

Navegue por aqui://Instrumentos Endodônticos e Soluções Irrigadoras
Instrumentos Endodônticos e Soluções Irrigadoras 2018-04-10T00:19:48+00:00

Instrumentos Endodônticos

Limas

A lima é composta pelo cabo, cursor, parte intermediária, parte ativa e guia de penetração. O índice de conicidade é dado pelo aumento de 0,02 mm da lima até o cabo.

São exemplos de limas:

  • Tipo K (quadrados vazios): são as mais comuns
  • Flexofile (quadrados preenchidos): silimar a tipo k, porém mais flexível
  • Headstroen (círculos preenchidos): possuem arestas cortantes em formato de árvore de natal. Utilizado para penetração e remoção sem realizar rotação.
  • NITI Flex (quadrados preenchidos pela metade) semelhante a do tipo K, porém com material mais flexível que a FlexoFile.

Tabela de cores e séries: Especial (rosa, cinza e roxa), demais séries ( branca, amarela, vermelha, azul, verde e preta).

COR DO CABO SÉRIE ESPECIAL 1º SÉRIE 2º SÉRIE 3º SÉRIE
ROSA 6#
CINZA 8#
ROXA 10#
BRANCA 15# 45# 90#
AMARELA 20# 50# 100#
VERMELHA 25# 55# 110#
AZUL 30# 60# 120#
VERDE 35# 70# 130#
PRETA 40# 80# 140#

Instrumental Básico de Irrigação

Capillary tips

Pontas muito fina totalmente em plático, com 25 mm de comprimento (roxa 0,35 mm, turquesa 0,48 mm), para irrigar, aplicar, aspirar e diluir o ar.

Endo-EZE

Agulha fina metálica com extremidade anti-obturação única. Apresenta ventilação de um dos lados para irrigação lateral, evitando o perigo de extrusão de fluidos através do ápice. Comprimento da agulha 25 mm.

Utilizar com: EDTA 18%, Ácido cítrico 20%, outros irrigantes

Navitips

As pontas NaviTips são as cânulas de aplicação mais sofisticadas para o uso em Odontologia. São rígidas o suficiente para evitar dobras, mas também suaves e flexíveis para navegar através de canais curvos. Possuem uma extremidade arredondada para permitir uma inserção suave e um pescoço angulado para uma melhor visibilidade. As pontas NAVITIPs estão disponíveis com dois diâmetros: 0,30 mm para líquidos e géis e 0,33 mm para materiais mais viscosos

Vantagens:

  • Tecnologia de cânulas sofisticadas: formato, material e dimensões otimizados
  • Aplicação controlada até o ápice
  • Versátil: pode ser usado com soluções, géis ou pastas

Soluções irrigadoras

O sucesso da terapia endodôntica depende de todas as etapas de sanificação do sistema de túbulos dentinarios principalmente a limpeza. A polpa dentária pode ser removida durante esta manobra, como também restos pulpares em decomposição e bactérias existentes na luz do canal radicular. A limpeza e desinfecção do sistema de canal radicular é dada pela técnica de instrumentação, uso de soluções irrigadoras e associação das duas técnicas.

A solução irrigadora tem propriedades químicas específicas como a capacidade de solvência de tecido orgânicos, mantendo e promovendo a desinfecção dos condutos radiculares e a remoção dos debris dentinários em consequência da instrumentação.

A utilização de um agente quelante como solução auxiliar na terapia endodôntica supre a ineficiência do hipoclorito de sódio quanto a capacidade de agir sobre a matriz mineral do dente e de atuar na remoção da smear layer, formada durante o processo biomecânico. A remoção do smear layer deve ser realizada antes do processo de obturação do canal radicular, favorecendo a adesão do cimento obturador e dos cones de gutapercha às paredes do canal radicular.

Propriedades desejáveis

  • Efeitos Microbiano
  • Biocompatibilidade
  • Capacidade de dissolução tecidual

Quantidade de solução

  • 10 a 30 ml imediatamente após a abertura
  • 10 ml à cada penetração do instrumento
  • 10 a 30 ml após a instrumentação
  • Media: 100 ml por canal

Ação Física: Arraste

Ação Química: dissolução dos tecidos orgânicos

  • Soluções e gel
  • Hipoclorito de Sódio (halogenados)
  • Água de cal (Peróxidos, associações)
  • Clorexidina (tensoativos)
  • EDTA Líquido (Quelantes)
  • EDTA gel (Quelantes) 

Hipoclorito de Sódio

  • Concentração: 2,5% solução de labarraque (solução de dakin – 0,5%)
  • Facilitar a ação dos instrumentos
  • Limpar a parede do canal
  • Combater microrganismos, devido a liberação de cloro
  • Clarear as estruturas
  • Desodorizar

Clorexidina

A clorexidina é o antibacteriano mais eficaz de que se tem conhecimento. Possui ação bactericida e bacteriostático possuindo alta substantividade (ação residual). Tem sido utilizada na endodontia devido ao seu alto poder antimicrobiano, baixa toxidade e sua ação residual. Não deve ser utilizada em associação com o hipoclorito de sódio porque o dente assume a coloração alaranjada irreversivelmente. Em baixas concentrações tem efeito bacteriostático e em altas concentrações, efeitos bactericidas.

Composto Clorado

  • Propriedades próximas daquelas do hipoclorito de sódio

Água de Cal

  • Água destilada + hidróxido de cálcio
  • Alcalinização do PH
  • Hemostasia

EDTA – Quelantes

  • Não possui propriedade bactericida ou bacteriostática significante
  • Quelante
  • Sequestra o metal (íons de cálcio e fosfato) da dentina
  • Amolece a dentina
  • Aumenta a permeabilidade dentinaria
  • Remove a camada residual de instrumentação

Indicações

Hipoclorito: Irrigante padrão ouro, todos os casos

Clorexidina: em alternativa aos pacientes alérgicos ao hipoclorito, usa-se a 2% e não deve ser usada em associação com o Hipoclorito porque o dente assume uma coloração alaranjada irreversivelmente.

Água de cal: capeamentos, pulpotomia e pulpectomia

EDTA : Solução auxiliar que supre a ineficiência do Hipoclorito quanto a capacidade de agir sobre a matriz mineral e de atuar na remoção do smear layer. Na instrumentação de um canal calcificado é necessário que se force um instrumento afiado, o amolecimento pode levar a desvios ou até mesmo a perfurações iatrogênicas dos canais. É mais seguro que se force o instrumento com o hipoclorito de sódio e posteriormente utilizar o EDTA para facilitar o alargamento do canal radicular

Referências 

SAYÃO, Sandra Endodontia: ciência, tecnologia e arte: do diagnóstico ao acompanhamento, 2 Ed, Ed Santos, 2007.

LEONARDO, M. R. Endodontia: tratamento de canais radiculares. São Paulo: Artes Médicas, 2008.

error: