Lesões brancas

Navegue por aqui://Lesões brancas
Lesões brancas 2019-05-03T18:53:15+00:00

A etiologia das lesões brancas da mucosa bucal é extremamente variada, sendo umas de origem genética, principalmente as genodermatoses, outras são resultantes de ação irritativa de agente mecânicos, físicos e químicos, outras microbianas e certas lesões não apresentam uma causa única, mas são o resultado de diversos fatores. São frequentemente observadas na rotina clínica do cirurgião dentista. (Tommasi, 2014).

As principais lesões brancas da cavidade oral pode ser:

  • Benignas reacionais (podem ser tratadas)
    • Queimaduras
    • Mordiscamento crônico (morsicatio)
    • Ceratose friccional (trauma crônico)
    • Estomatite nicotínica
  • Infecciosa
    • Candidíases (pseudomembranosa e hiperplásica crônica)
    • Sífilis secundária
    • Leucoplasia Pilosa (Vírus Epstein-Barr (VEB))
  • Potencialmente malígnas
    • Queilite Actínica
    • Leucoplasia
    • Liquen plano (auto-imune)
  • Malígna (menor número de casos)
    • Carcinoma espinocelular

Tabaco sem Fumaça (Rape)

  • Inflamação e Ceratose
  • Alterações displásicas e risco de malignização
  • Cancerígenos
  • PH Alcalino

Características Clínicas

  • Fundo de saco vestibular
  • Placas brancas (Ceratóticas)
  • Alteração do paladar e olfato
  • Doença periodontal e abrasão
  • Epitélio granular, enrugado ou pregueada
  • Componente eritroplásico
  • Indolores

Tratamento

  • Eliminação do uso do tabaco, as lesões desaparecem
  • Persistem -> deve-se realizar biopsia
  • Baixo grau de malignidade

Estomatite Nicotínica

Uma forma peculiar de hiperqueratose que atinge a mucosa do palato, causada por uso abusivo de tabaco com cachimbos e charutos.

Possui um efeito tópico direto da fumaça.

Características Clínicas

  • Reação eritematosa que ocorrerá em ceratinização
  • Pontos vermelhos que são características da inflamação dos ductos excretores das glândulas
  • Raramente evolui para maliginidade

Hiperceratose Reacional

Lesão branca que devido à relação causa e efeito é distinguida da leucoplasia idiopática. São áreas sujeitas a traumatismo: lábios, laterais da mucosa jugal, lateral da lingual. Elemento crônico irritável: fumo, álcool, arestas dentárias irritantes ou restaurações mal adaptadas, ausência de dentes (principalmente posteriores) com a presença do antagonista, que provoca impacção alimentar sobre o rebordo alveolar, aparelhos ortodônticos, próteses removíveis.

Tratamento

Anamnese cuidadosa, não é necessário biopsia, basta remover a causa.

Candidíase

A candidíase é uma infecção micótica mais comum cujo o agente etiológico é a cândida albicans e tem comportamento oportunista. Esse fungo tem o seu padrão de crescimento alterado diante de algum tipo de comprometimento sistêmico. Os fatores predisponentes da candidíase são: imaturidade imunológica, distúrbios endócrinos, terapia com corticosteroides, xerostomia, pobre higiene oral, antibioticoterapia, radioterapia e quimioterapia.

Candidíase Aguda

Pseudo membranosa

  • Placas brancas e gelatinosas
  • A remoção revela superfície eritematosa e sensível.
  • Vulgarmente conhecida como “sapinho”
  • Forma clínica mais frequente em indivíduos infectados com HIV
  • Localizações preferenciais: qualquer sítio da cavidade oral, sendo o dorso e bordas laterais da língua as áreas mais afetadas

Atrófica / Eritematosa

  • Áreas de erosão, de cor avermelhada, mal delimitada.
  • Localizações preferenciais: palato duro e mole, dorso da língua (atrofia das papilas filiformes).
  • Assintomáticas, podendo causar ardor ou desconforto durante a ingestão de alimentos ácidos ou quentes.
  • Associada ao uso de próteses acrílicas removíveis mal higienizadas ou antigas.
  • Pode ser crônica.

Candidíase Crônica

Hiperplásica/Hipertrófica

Lesão crônica, que se apresenta como placa branca ou amarelada, não removível a raspagem, geralmente assintomática, encontrada no dorso da língua de pacientes fumantes ou portador de doenças cônicas como diabetes.

Diagnóstico diferencial

  • Candidíase pseudomembranosa (removível a raspagem).
  • Leucoplasia em pacientes fumantes (biopsia).

Tratamento

Aplicação tópica da suspensão de Nistatina.

Leucoedema

  • Opacificação generalizada da mucosa jugal, que pode ser relacionada a uma variação da normalidade
  • A causa não foi estabelescida
  • Assintomático
  • Cinzento-branca, nevoenta ou leitosa
  • Comum em negros

Tratamento

Não há tratamento, estiramento da mucosa, os sinais desaparecem desaparecem.

Referências

TOMMASI, Maria Helena M.; Diagnostico em Patologia Bucal, 4º ed. , 2014

NEVILLE, B.W.; DAMM, D.D.; ALLEN, C.M.; BOUQUOT, J.E. Patologia Oral e Maxilofacial. Trad.4a Ed., Rio de Janeiro: Elsevier, 2016

error: