Cimentação

Navegue por aqui://Cimentação
Cimentação 2018-06-08T02:19:17+00:00

A escolha do cimento deve levar em conta o grau de retenção dos pilates, o tempo de permanência em boca (provisórios), a técnica de confecção da peça protética e se o dente é vital ou não vital, ou seja, depende do tipo de substrato(dentina, esmalte, resina)  e sua cor, do material de restauração a ser utilizado(metal, cerâmica, cerômeros, resina), e do sistema adesivo (convencional, autocondicionante).

Cimentação Provisória

Quando há necessidade de ação medicamentosa sobre a polpa são indicados os cimentos a base de hidróxido de cálcio. Quando os pilares irão permanecer maior período ou são pouco retentivas os cimentos de óxido de zinco e eungenól são mais indicados. Contudo os cimentos a base de eugenól apresentam o problema de interferir no processo de polimerização das resinas acrílicas, podendo ocorrer uma redução da adaptação marginal das restaurações provisórias, devido a formação de uma consistência borrachóide da restauração provisória. Ainda existe a influência negativa do eugenol no processo de polimerização de alguns cimentos resinosos utilizados em cimentação definitiva.

Cimentos provisórios mais utilizados:

  • Hidróxido de cálcio: tem efeito bacteriostático e estimula a formação de dentina reparativa.
  • Óxido de Zinco e eugenol: efeito bacteriostático, analgésico e formação de dentina esclerosada
  • Óxido de Zinco sem eugenol

Cimentação Definitiva

Cimentos definitivos mais utilizados:

  • Fostato de Zinco: núcleo fundido, coroas metalocerâmicas, metal, cerâmicas
  • Resinoso dual convencional
  • Resinoso fotoativado
  • Resinoso autoadesivo
  • Ionômero de vidro modificado por resina

Cimentação para próteses metal-free

  • Coroas totais: cimento resinoso autoadesivo ou cimento dual convencional, cimento dual sem amina
  • Onlays-Overlays: cimento resinoso autoadesivo ou cimento dual convencional, cimento dual sem amina (limitação do tempo de trabalho)
  • Laminados Cerâmicos: Cimento resinoso fotoativados, cimento dual sem amina (limitação do tempo de trabalho), resina compostas termoativadas

Condicionamento Cerâmico

Jateamento com óxido de alumínio (laboratório)

Tem como objetivo limpar a estrutura interna da cerâmica e criar microretenções, irregularidades.

Ácido Hidrofluorídrico

Age na fase vítrea das cerâmicas, promovendo condicionamento seletivo e microretenções mecânicas. Variáveis de concentração interferem diretamente na alteração da morfologia interna das peças e nos valores de resistência adesiva obtidos. Em cerâmica vítreas são utilizados nas concentrações de 5%, 9,5% 10% e em cerâmicas de composição feldspáticas, o tempo de condicionamento varia de 60 a 90 segundos com ácido a 10% e posterior limpeza com ácido fosfórico por 30 a 60 segundos e lavagem. Para cerâmicas a base de silicato de lítio o tempo medio de 20 segundos com ácido a 5%.

A cerâmica rica em óxidos (óxido de zircônia), não são condicionadas com ácidos hidrofluorídricos, são utilizados primers específicos que irão oferecer uma relativa união química, desta forma,  são jateadas com óxido de alumínio e recebem o primer específico (z-primer-Bisco®).

Silano

É um composto bifuncional, que une quimicamente a substância inorgânica da cerâmica com a parte orgânica do agente de cimentação.

Estudos mostram que a aplicação do silano é fundamental para a obtenção de uma adesividade de forma adequada. Após a aplicação deixar o material agir por alguns minutos e posteriormente aplicar o sistema adesivo.

Referências

GOMES, E. A. et al . Cerâmicas odontológicas: o estado atual. Cerâmica,  São Paulo ,  v. 54, n. 331, p. 319-325,  Sept.  2008

PEGORARO LF & Cols. Fundamentos de Prótese Fixa – Série Abeno 1ed. Editora Artes Medicas – 2014

error: