Welcome to your Simulado de Estomatologia

(ENADE 2002) O conhecimento sobre os fatores de risco do câncer de boca orienta que este deve ser procurado principalmente nos indivíduos que apresentem exposição a um ou mais fatores. São considerados fatores de risco:

I. Sexo masculino, com idade superior a 40 anos.
II. Tabagismo e etilismo crônicos.
III. Desnutrição ou imunodepressão, associadas à má higiene bucal.
IV. Próteses mal ajustadas, com irritação crônica da mucosa bucal.

Estão corretas as condições:
(ENADE 2002) Paciente tem queixa de dor e ardência na língua. Clinicamente observa-se a língua com coloração avermelhada e atrofia das papilas. Nota-se também a presença de fissuras e rachaduras nos lábios, mais acentuadas nos cantos da boca. Geralmente, este quadro caracteriza manifestações bucais associadas à deficiência de vitamina.
(ENADE 2002) Paciente do sexo masculino, 14 anos de idade, apresenta clinicamente ausência do dente 43. O exame radiográfico periapical demonstra impactação do dente por massa radiopaca de forma irregular, com cerca de 10 mm de extensão, circundada por uma estreita faixa radiolúcida, com margem bem delineada e cortical delgada. O conteúdo radiopaco é heterogêneo, apresentando formações rudimentares semelhantes a dentes. O diagnóstico é:
(ENADE 2002) São causadas pelo vírus do papiloma humano (HPV) as seguintes doenças bucais:
(ENADE - 2004) Paciente do sexo masculino, 65 anos de idade, não fumante, com bom estado de saúde geral sem alteração sistêmica, apresenta lesão branca, bem demarcada e não destacável em mucosa jugal do lado direito. Após biópsia, o exame histopatológico mostrou hiperceratose, acantose, displasia epitelial branda e presença discreta de linfócitos no tecido conjuntivo subjacente. Este quadro é compatível com o diagnóstico de
(ENADE 2002) Paciente do sexo feminino, 25 anos de idade, apresenta crescimento do tecido gengival na região dos dentes 34 e 35, sendo que este último está ausente e o dente 34 apresenta restauração insatisfatória de classe V. A lesão é assintomática, compressível e de base séssil, com tamanho aproximado de 10 mm. Sua superfície é lisa, de coloração avermelhada e o exame radiográfico exibe uma imagem radiolúcida, em forma de taça, na crista desdentada do rebordo alveolar. A hipótese diagnóstica é:
(ENADE - 2004) A gengivoestomatite herpética aguda é uma infecção virótica primária, que surge após deficiência do sistema imunológico por alteração sistêmica. Caracteriza-se pelo aparecimento de lesões bucais na gengiva, língua, mucosa labial e jugal. As lesões desaparecem espontaneamente entre 10 e 14 dias, sem deixar marcas. No entanto, o surgimento de sintomas clínicos de dor é atribuído ao aparecimento de
(ENADE - 2007) Lesões na boca devem ser cuidadosamente monitoradas até a sua remissão, frente à possibilidade de se tornarem malignas e ao crescente aumento na ocorrência do câncer bucal. O exame clínico detalhado de uma lesão intrabucal (cor, textura, tamanho, consistência e localização) deve ser precedido de avaliação completa de cabeça e pescoço.
Sobre essas avaliações, considere as seguintes etapas:

I – exame dos lábios, da mucosa jugal e labial, dos palatos duro e mole, da orofaringe, da língua e do assoalho da boca, na pesquisa de possíveis sinais relacionados à lesão;
II – palpação dos ductos salivares e observação em relação à existência de fluxo salivar límpido, abundante e indolor;
III – exame extrabucal, incluindo a observação de simetria facial e dos ouvidos, nariz e olhos, à procura de qualquer erupção ou lesão;
IV – palpação das regiões submentoniana, submandibular, cervical e tireoidiana à pesquisa de linfadenopatia, também relacionada à lesão.

Estão corretas as etapas